A importância do Relógio Ponto nas Entidades Públicas

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Controle da jornada de trabalho, facilidade na hora de conferir informações sobre entrada e saída de funcionários, segurança em relação aos direitos. Estes são apenas alguns benefícios para empregados e empregadores, da iniciativa pública e privada, com o registro do ponto. Das três principais formas de registrar a rotina de trabalho: manual, mecânica e eletrônica, a eletrônica acaba sendo a opção mais eficiente para controle e emissão de relatórios.

A grande adesão de empresas e órgãos públicos levou o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) a publicar, em 2009, a portaria 1.510 que disciplina e o registro eletrônico de ponto e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto (SREP). Assim, o empregador deveria, obrigatoriamente, utilizar o SREP sempre que houvesse mais de 10 funcionários contratados. Além da impossibilidade de alterar os registros, os trabalhadores deveriam receber um comprovante de marcação, impresso pelo Registrador Eletrônico de Ponto (REP), impedindo qualquer ação que desvirtuasse os fins legais do registro de ponto.

Posteriormente, em 2011, o MTE publicou a portaria Nº 373 que atualizou a portaria 1510/2009 e possibilitou o uso de sistemas alternativos de controle da jornada de trabalho. Entre as vantagens da atualização está o fato do empregador ter a liberdade de optar por sistemas mais baratos em comparação ao REP e que realize marcações sem a necessidade de manter um relógio ponto físico. Nesse caso, o uso de um software específico para monitorar e acompanhar a jornada de trabalho pode trazer muitas vantagens. Com esta ferramenta a gestão do ponto torna-se algo produtivo, além de mais econômica.

Alguns softwares que atuam na nuvem podem ser responsáveis em garantir uma economia bastante considerável do valor que seria investido na compra e instalação de outros relógios ponto disponíveis no mercado. Para facilitar a rotina do Departamento Pessoal o sistema deve ser integrado à Folha de Pagamento para importar os dados de forma automática. As marcações devem ser entregues ao gestor responsável que pode comparar, avaliar e verificar todas as informações de forma prática e transparente. As marcações podem ser feitas de forma on-line, mas com toda segurança da autenticação por biometria, evitando que um funcionário registre o ponto por outro. Além disso, possibilita aos funcionários o acompanhamento das marcações.

Ou seja, um software específico para o registro do ponto traz benefícios para os empregados, que tem seus direitos garantidos e para os empregadores que podem economizar sem perder a precisão no registro de horários, além de segurança e agilidade em tempo real.

Tags> ,
Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Sobre o autor
Diego Biz de Freitas
Analista de Suporte na Estratégia de Produtos Pessoal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *