Criança bem nutrida aprende mais e melhor

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Embora pareça não ter grande relação, especialistas afirmam que o aprendizado na infância está diretamente ligado a uma nutrição adequada. Ou seja, criança de estômago vazio ou com deficiências nutricionais terão dificuldades em desenvolver a capacidade de escrita, leitura e até mesmo de interação social.

A escola pública é responsável por fornecer refeições adequadas para as crianças no período em que elas estão estudando. Muito mais que fornecer o alimento, porém, a escola desenvolve um papel ainda mais importante: o da conscientização. É na infância que se criam e fixam os hábitos alimentares. Portanto, a equipe pedagógica e nutricional tem o desafio de desenvolver projetos que envolvam e despertem nas crianças esta consciência pela alimentação saudável.

As crianças possuem grande facilidade em aceitar alimentos doces e processados, assim, cabe também à escola, o trabalho de introdução de novos alimentos e de explicações para que haja o entendimento da necessidade nutricional e de consumir mais verduras, legumes, frutas e grãos naturais ao invés dos alimentos que vêm prontos em pacotinhos.

Feito de forma eficiente, esse trabalho irá auxiliar na solidificação dos bons hábitos alimentares pelo resto da vida da criança. Como possuem rotinas agitadas, correm, se movimentam, o gasto calórico costuma ser bastante alto e caso não tenham as necessidades nutricionais supridas, as crianças não terão disposição, atenção e capacidade de fixar o aprendizado de forma eficiente. Além disso, criança que se alimenta mal, desenvolve mais problemas de saúde, o que gera outro problema para os pais e também para a saúde pública.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) recomenda, com base em instruções da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o consumo diário de 1500 kcal (para crianças de 6 a 10 anos), 2175 kcal (11 a 15 anos) e 2500 kcal (16 a 18 anos). Mas como ter controle da quantidade e da qualidade do alimento servido na escola? É aqui que se destaca a atuação de um bom software relacionado ao controle da merenda escolar. Esse gerenciamento deve ser capaz de planejar a quantidade de pratos dos alunos, avaliar o controle nutricional, até criar receitas com base nas restrições alimentares dos estudantes. E essa possibilidade deve ser permitida de forma individual e coletiva, facilitando o auxílio nutricional a quem mais precisa.

A tecnologia pode ser uma grande aliada do gestor público e da própria educação municipal ou estadual. Além de desenvolver os índices educacionais do município, um software de gestão eficiente pode colaborar para tornar a população de estudantes mais feliz e saudável.

Saiba mais sobre a solução Educação.

 


Tags>
Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Sobre o autor
Betha Sistemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *