Servidor de Penha, sobre o eSocial: “Muitos sábados, domingos e feriados foram necessários para colocar tudo em dia”

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Há mais de um ano os servidores do departamento de Recursos Humanos da prefeitura de Penha (SC) começaram a se preparar para as mudanças propostas pelo eSocial. “Eu não imaginava que daria tanto trabalho. Algumas vezes pensamos em desistir e parar com tudo, mas não temos o que fazer. O prazo está chegando e, mesmo que já tenhamos boa parte da base qualificada, sabemos que o tempo que resta é curto para tudo o que ainda precisa ser feito”, diz o diretor do RH da prefeitura, Luiz Roberto Cunha.

O trabalho de adaptação ao eSocial – que entra em vigor em janeiro de 2020 -, iniciou com a alteração das inconsistências apontadas pela solução Folha. Só aí, conta Luiz Roberto, foram identificados mais de 700 dados que precisavam ser corrigidos. “O próprio sistema mostra o que está errado, de acordo com as novas normas. Decidimos começar por esta parte, e para colocar tudo em dia foram muitos sábados, domingos e feriados trabalhando”, explica.

A seguir, os servidores entraram na segunda fase, que era a da qualificação cadastral. E então perceberam que a tarefa seria mais difícil do que o imaginado inicialmente. “Constatamos a quantidade enorme de alterações que precisavam ser feitas. E o pior: elas não dependiam apenas do RH. Eram dados, por exemplo, da servidora que casou e não trocou o nome nos documentos. Precisávamos que ela procurasse o banco ou o correio, atualizasse e nos trouxesse para, só então, arrumar aquele erro”, diz Luiz Roberto, que completa: “outra decisão que tomamos é que, quando um novo servidor apresenta no RH a documentação para admissão, se constatada alguma inconsistência no portal do eSocial, ele só será admitido após regularizá-la, para evitar que novos erros apareçam no sistema”.

A qualificação na prefeitura iniciou em 2018, quando o eSocial começou a ser amplamente difundido. O município tem entre 1,3 mil e 1,5 mil servidores, e destes, aproximadamente metade tinha algo que precisava ser atualizado na base cadastral. “No início tínhamos umas 10 páginas de erros; hoje temos menos de duas. O prazo está apertando, mas acreditamos que até o fim de ano tudo fique ok”, diz, ao completar: “quem não começou ainda, ou acha que tem tempo, está enganado. O trabalho é enorme, é preciso fazer coisa que nem imaginamos. Comecem logo, ou então, não vão dar conta”.

 

Mudança de cultura na instituição será grande

O eSocial unificará informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, envolvendo, no processo de mudança e de envio de informações, os departamentos de Recursos Humanos, Medicina do Trabalho, Cadastro, Financeiro, Contábil e Jurídico. Apesar de parecer ainda haver um prazo extenso, o cadastro exige muita atenção, principalmente em órgãos públicos maiores. Se os dados não coincidirem em todas as plataformas do governo, não será possível realizar o envio das informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias, nem o recolhimento dos valores devidos.

O supervisor técnico da filial Palhoça da Betha, Leandro Lunelli Lehr, conta que, para facilitar a “conversa” entre o eSocial do Governo Federal e o sistema de Folha utilizado pelo cliente, a Betha desenvolveu a sua solução eSocial. A ferramenta aplica filtros, mostra como corrigir informações inconsistentes e quanto tempo será necessário para fazer as alterações antes de encaminhá-las ao Governo.

Ele ainda lembra: “os servidores precisam se atentar ao prazo. É necessário um tempo considerável para fazer o diagnóstico de todo o cenário, assim como a mudança de cultura na instituição tende a ser grande. A chegada do eSocial implica em alterar a data de pagamento dos servidores da prefeitura, por exemplo, assim como em antecipar concursos e processos seletivos, em modificar legislações municipais que vão de encontro às estaduais ou federais, e em muitos outros processos. É pouco tempo para executar tantas adequações”, complementa.

A solução de eSocial da Betha faz parte da linha de Pessoal e Recursos Humanos, que oferece o acompanhamento completo de todas as etapas e rotinas que compõem o histórico dos funcionários públicos. Para mais informações, acesse http://www.betha.com.br/segmento/pessoal-e-recursos-humanos ou, ainda, entre em contato com o consultor da filial ou revenda que atende o seu município.

 

Sobre a Betha

A Betha Sistemas é uma empresa de base tecnológica, especialista no desenvolvimento de soluções em software para gestão pública. Atuando no mercado nacional há mais de 30 anos, tem como missão facilitar a interface entre os cidadãos e os agentes públicos, oferecendo-lhes ferramentas para realizar um trabalho pautado na integridade, na ética e na transparência. Líder nacional no segmento, desenvolve suas soluções com tecnologia em nuvem, contribuindo com o desenvolvimento dos municípios, integrando informações, oportunizando uma gestão ainda mais eficaz e aproximando-se da sociedade.

Tags> ,
Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Sobre o autor
Betha Sistemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *