Gestor municipal: decisões assertivas são essenciais em época de crise

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Em época de recessão econômica, quanto mais números o gestor tiver às mãos, mais assertiva será a decisão tomada. Em momentos como este, mais do que nunca é preciso saber onde investir os recursos, para que a máquina pública mantenha-se em perfeito funcionamento.

Conforme o especialista e coordenador de Testes da Betha Sistemas, Ramiro Webber Dimer, para que isso aconteça é necessário profissionalizar a gestão, verificando, dessa forma, se os recursos estão sendo aplicados da maneira mais eficiente. “Com acesso a todas as informações de forma centralizada, é muito mais simples e rápido para o administrador visualizar o cenário completo. A crise não permite trabalhar ‘no automático’, sem uma avaliação estratégica da situação”, lembra ele.

Outra questão importante relacionada à tomada de decisão tem a ver com a otimização do tempo. “Muitas vezes, a necessidade de conversar com servidores de outros departamentos para entender alguma situação em especial acaba atrasando todo o processo. Agrupar as informações, sem depender de mais pessoas para isso, é essencial para uma performance mais rápida e de baixo custo”, comenta Dimer.

 

Ferramentas são essenciais para a tomada de decisão

 

Para auxiliar os gestores neste período de recessão, uma das alternativas é investir em um sistema que centralize todas as informações estratégicas. “Com isso o prefeito pode acompanhar, por exemplo, a frota da prefeitura. Quantos carros o órgão possui, a quantidade de servidores que utilizaram os veículos e quando foi isso. Ele tem à mão, de maneira muito fácil, a quilometragem percorrida durante os últimos meses, qual secretaria mais utiliza e a evolução de uso de um ano em relação ao outro. Assim visualizará por que o gasto no departamento aumentou ou diminuiu, e se o investimento realmente continua sendo necessário”, explana o coordenador de testes.

Outro exemplo, pontua ele, está relacionado ao IPTU. Com um bom sistema o prefeito tem disponíveis os valores lançados e arrecadados em cada bairro do município, chegando ao nível de detalhamento por rua, por contribuinte e até por imóvel. Assim ele pode argumentar caso um cidadão exija melhorias na sua rua, mas não pagou o imposto. “Se houver uma reunião em determinada comunidade onde os moradores cobrem mudanças na estrutura local, basta ter um computador com acesso à Internet para consultar o sistema e mostrar, por exemplo, o valor de arrecadação esperado no último exercício, quanto deixou de ser arrecadado e os moradores em dívida com o município”, enaltece.

 

BI, da Betha Sistemas, auxilia de maneira didática

 

No BI – Business Intelligence Fly, solução oferecida pela Betha Sistemas, o gestor encontra facilidades que ele nem imagina para gerenciar o município. De maneira didática, o software agrupa as principais informações dos sistemas de arrecadação, contabilidade, educação, frotas, saúde, e-nota, pessoal, e outros.

Trazendo os dados em formato gráfico de fácil entendimento, com poucos cliques os prefeitos, contadores e assessores têm uma gama de dados à disposição. “O bom é que o BI é totalmente visual e amigável, o que facilita a interpretação dos dados e simplifica o dia a dia do gestor. Além disso, também é atualizado todos os dias, tornando-se uma ferramenta indispensável nos dias atuais”, complementa Dimer.

Tags>
Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Sobre o autor
Betha
Betha Sistemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *