/noticia/quem-nao-comecar-agora-nao-vai-dar-conta-diz-servidor-de-urubici-sobre-o-esocial
  • Início
  • Notícias
  • “Quem não começar agora, não vai dar conta” - diz servidor de Urubici sobre o eSocial

Acompanhe nossas notícias

« Voltar à listagem de notícias
  • 10/01/2019 “Quem não começar agora, não vai dar conta” - diz servidor de Urubici sobre o eSocial

    “Quem não começar agora, não vai dar conta. Falo isso com propriedade!”. Assim o agente administrativo do município de Urubici, em Santa Catarina, Cassiano Rodrigo de Souza, define a preparação para o eSocial – instrumento de unificação do Governo Federal que deve entrar em vigor em janeiro de 2020.


    De acordo com ele, o trabalho de adequação às normas iniciou ainda em 2017 na prefeitura, intensificando-se em 2018 após um treinamento realizado pela Betha no município de Lages. “Pegamos firme, começamos o trabalho e não paramos mais. Em novembro do ano passado já havíamos praticamente concluído a parte estrutural da folha, com informações de endereço, CPF, qualificação cadastral, e outros dados. Hoje devemos ter alcançado os 100%, faltando somente a conclusão da saúde do trabalhador”, explana.


    No município, dois servidores ficaram responsáveis por fazer as adequações exigidas pelo Governo, atualizando as informações de aproximadamente 500 profissionais. “Começamos cedo porque sabíamos que muito trabalho viria pela frente, só não imaginávamos que seria tanto!”, diz ele, ao emendar: “o principal problema é que muita coisa precisa ser adaptada na folha do servidor por conta das novas exigências legais, ao mesmo tempo em que precisamos mexer nela praticamente todos os dias devido às rotinas do departamento. Então, ou faz uma coisa, ou outra. Os dois ao mesmo tempo é difícil”, pontua.


    O coordenador de Estratégia de Produtos da Betha, Gabriel Rebelo, explica a necessidade de possuir um bom sistema de gestão neste momento, uma vez que ele faz a análise criteriosa da base cadastral da entidade e aponta todos os campos que precisam ser corrigidos. “O resultado é um relatório completo de inconsistências, com orientações sobre como proceder”, diz, sendo complementado pelo analista de Suporte e Implantação da filial Criciúma da Betha, Gabriel Rodrigues. “Com a solução, as entidades ganham mais agilidade na resolução de inconsistências cadastrais, como é o caso de Urubici. Outro ponto importante é que o sistema contempla, em um único local, as validações e as orientações para ajuste dos cadastros”, enfatiza.


    Conforme Cassiano, a dica aos profissionais de Recursos Humanos é uma só: “Não hesitem em começar! Já adiantamos muita coisa, mas temos certeza de que, quando o eSocial realmente passar a valer, muitas coisas vão aparecer sem estarem planejadas. Iniciem o quanto antes, não confiem porque falta quase um ano. Preparar-se para o eSocial leva tempo, dá trabalho e exige esforço da equipe”, enfatiza ele.



    Saiba mais:


    O eSocial unificará informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, envolvendo, no processo de mudança e de envio de informações, os departamentos de Recursos Humanos, Medicina do Trabalho, Cadastro, Financeiro, Contábil e Jurídico.

    Apesar de parecer ainda haver um prazo extenso, o cadastro exige muita atenção, principalmente em órgãos públicos maiores. Se os dados não coincidirem em todas as plataformas do governo, não será possível realizar o envio das informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias, nem o recolhimento dos valores devidos.


    Fique atento ao checklist do que já pode – e deve – ser feito:


    Capacitação da equipe:


    Os servidores que trabalharão diretamente com os dados enviados ao eSocial devem estar capacitados, ter conhecimento em legislação trabalhista e previdenciária, além de estarem conscientes da importância e complexidade do projeto. É muito importante realizar cursos de preparação para que tenham conhecimento das obrigatoriedades dos processos do eSocial.


    Qualificação cadastral:


    A qualificação cadastral é responsável pela identificação das possíveis divergências de dados cadastrais, especificamente relacionados ao nome, data de nascimento, PIS/PASEP e CPF existentes entre os dados da base da entidade e também entre os órgãos partícipes do governo, como INSS, Receita Federal, Ministério do Trabalho, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Quando uma ou mais informações do recadastramento estiver diferente em um destes órgãos, será necessário que o funcionário vá até o referido órgão para proceder a correção. Enquanto isso não ocorrer, é impossível enviar os dados.


    Saneamento da base de dados:


    Sanear a base é voltar o olhar para as mais de 600 regras de validação do eSocial do governo, comparar com os registros que serão encaminhados ao eSocial, identificar os registros que estão inconsistentes em relação a estas regras de validação, proceder os ajustes cadastrais necessários para eliminar as inconsistências e deixar a base pronta para envio. Além de sanear a base, é importante mantê-la assim. Cuidar para que os futuros registros adicionados estejam atendendo a todas as regras de validação. Revisar os cadastros na base de dados para não ocorrer duplicidade e inconsistência de informações no momento de envio dos arquivos do eSocial.



    Sobre a Betha


    A Betha Sistemas é uma empresa de base tecnológica, especialista no desenvolvimento de soluções em software para gestão pública. Atuando no mercado nacional há mais de 30 anos, tem como missão facilitar a interface entre os cidadãos e os agentes públicos, oferecendo-lhes ferramentas para realizar um trabalho pautado na integridade, na ética e na transparência. Líder nacional no segmento, desenvolve suas soluções com tecnologia em nuvem, contribuindo com o desenvolvimento dos municípios, integrando informações, oportunizando uma gestão ainda mais eficaz e aproximando-se da sociedade.


Compartilhe essa notícia
Notícias relacionadas
  • 15/05/2015
    Betha presente no 11º Congresso Catarinense de Finanças

    A Betha Sistemas estará presente no 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais que acontece de 18 a 20 de maio em Florianópolis. Nesse ano juntamente com o congresso acontece o 6º ...

  • 03/02/2017
    Servidores de Piçarras se adaptam ao novo sistema de Educação da Betha

    As novas soluções em nuvem disponibilizadas pela Betha Sistemas para a facilitar a rotina na Educação foram apresentadas aos professores e servidores da Secretaria de Educação de Piçarras, em Santa Catarina, nos dias 26 e 27 de janeiro. Cerca de 20 p...

Acompanhe nossas Redes Sociais
Instagram Instagram
x Normas e Procedimentos

INFORMAÇÕES

A sua inscrição estará finalizada somente após o recebimento do e-mail de confirmação, enviado pela Universidade Corporativa. A Universidade Corporativa reserva-se o direito de cancelar o treinamento se a quantidade mínima de inscrição não for atingida. Para solicitar qualquer informação sobre nossos treinamentos, acesse a página de contato ou ligue: (48) 3431-0733 Rama: 4792

FORMAS DE PAGAMENTO

Normas Financeiras:
1 a 2 inscrições por instituição: pagamento integral;
3 inscrições por instituição: 15% de desconto;
4 ou mais inscrições por instituição: 20% de desconto.

Através de Sose:
A SOSE será enviada ao participante por e-mail e deverá ser reenviada (digitalizada) assinada pelo responsável do setor junto aos dados de Empenho (se necessário), antes da realização do treinamento. O faturamento será efetuado posteriormente, em nome da instituição participante.

Através de Boleto (PF):
No caso de faturamento para pessoa física, é enviado por e-mail ao participante, o boleto para pagamento. Este deverá ser quitado antes da realização do treinamento e reenviado (digitalizado). Após o pagamento do mesmo, é enviada a nota fiscal.

Observações:
Das pessoas que se inscreverem e não comparecerem ao treinamento será cobrado uma multa de 30% do valor de cada inscrição, em fatura.
Não será reembolsado o valor pago na inscrição a clientes que não comparecerem ao treinamento sem aviso prévio.

x